História da Anatomia

O que é Anatomia?

É a dissecação do corpo humano ou de qualquer animal ou vegetal para estudo e conhecimento de sua organização interna. Anatomia é ciência que estuda a forma e a estrutura dos diferentes elementos constituintes do corpo humano sendo as estruturas macroscópicas e microscópicas.

Imagem: Reprodução/Internet

ANA: Através de / Em parte

TOME: Corte

ANATOME: seccionar, cortar em pedaços, ou separar

História da Anatomia

A Anatomia Humana é símbolo de um mistério que, durante toda a história, instigou questionamentos daqueles que, incessantemente, ansiavam por descobrir o que se esconde sob o manto o qual chamamos de pele. Embora os primeiros registros de dissecações em seres humanos sejam de Alexandria, realizadas por Herófilo e Erasístrato no século II a.C., muitos consideram seu início já em meados do século V a.C. quando, no sul da Itália, Alcméon de Crotona realizou dissecações em animais, na tentativa de estender suas descobertas à espécie humana.

Por volta do século II, quando, por motivos éticos e religiosos, proibiu-se o uso de cadáveres humanos, predominou a prática da dissecação em animais. O grande expoente deste período foi Galeno, que trabalhou como médico na mais famosa das arenas de gladiadores de Roma – o Coliseu – e realizou inúmeras dissecações em animais, criando teorias e representações que se enquadrassem também ao corpo humano, consideradas inovações à época, porém hoje defasadas.

Durante os três séculos seguintes a Escola de Galeno reinou por toda a Europa, até que, com a queda do Império Romano e a ascensão do Clero cristão ao poder, no século V, tanto suas descobertas quanto quaisquer outros estudos sobre anatomia – em animais ou humanos – foram proibidos, sendo atribuídos a eles características de cunho hediondo. Tal situação culminou com uma estagnação que durou aproximadamente 700 anos, quando em Salerno, na Itália, foi criada a primeira Universidade de Medicina, trazendo à tona os registros de Galeno.

Outro passo, ainda maior, foi dado quando foram novamente legalizadas as práticas de dissecação de cadáveres humanos nas universidades – prática ainda muito rudimentar, a qual, devido à inexistência de quaisquer formas de conservação dos corpos, deveria ser realizada sempre em até 48 horas – marcando o início de uma época de irrefreáveis avanços da Anatomia. Tal progresso se deveu, em grande parte, ao aumento do número de pessoas interessadas na área durante o período Renascentista, sendo muitas delas, artistas que buscavam, na Anatomia, bases para retratarem de maneira mais precisa a figura humana. O mais famoso deles, Leonardo da Vinci, dentre seus diversos trabalhos, ainda é reconhecido por seus diversos esboços e obras baseados na arte da dissecação.

Então, em 1543, foi produzido o primeiro livro Atlas de Anatomia – “De Humani Corporis Fabrica” – pelo médico belga Andreas Vesalius, incitando cada vez mais médicos a desmistificarem os segredos corpo humano. Com a disseminação do conhecimento e a crescente busca por respostas, ao final do século XVII, Swammerdam, Ruysch e outros estudiosos passaram a produzir peças anatômicas para exposição em Museus de Anatomia.

Atualmente a disciplina de Anatomia Humana é de caráter obrigatório para todos cursos da Área da Saúde, visto que o seu entendimento se faz fundamental para a compreensão da fisiologia e dos processos patológicos que acometem o Ser Humano. 

A anatomia humana se define como normal quando estuda o corpo humano em condições de saúde, e como patológica ao interessar-se pelo organismo afetado por anomalias ou processos mórbidos.

O desejo natural de conhecimento e as necessidades vitais levaram o homem, desde a pré-história, a interessar-se pela anatomia. A dissecação de animais (para sacrifícios) antecedeu a de seres humanos.

Recentemente, a anatomia tornou-se submicroscópica. Hoje em dia há a possibilidade de estudar anatomia mesmo em pessoas vivas, através de técnicas de imagem como a radiografia, a endoscopia, a angiografia, a tomografia axial computadorizada, a tomografia por emissão de positrões, a imagem de ressonância magnética nuclear, a ecografia, a termografia e outras.

Referências Bibliográficas

Anatomia e Fisiologia Humana. 1ª ed. ELAINE CRISTINA MENDES MARQUES. São Paulo: MARTINARI, 2011.

Profª Me. MÁRCIA PRAIA, Anatomia e Fisiologia Humana. Amazonas: Manaus, 2016/2019.

https://www.ufcspa.edu.br/index.php/historia-da-anatomia-humana

https://pt.wikipedia.org/wiki/História_da_anatomia

Compartilhe:

Leave a reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>