Generalidades Anatômicas

Anatomia Humana

Em um sentido mais amplo, a anatomia é a ciência que se dedica ao estudo da estrutura do corpo humano e as suas relações macroscopicamente (exame geral) e microscopicamente (microscópio).

A palavra anatomia tem origem grega e significa Ana = em partes; tomein = cortar (“cortar em partes” ou dissecar).

Atualmente utilizamos o termo morfologia para englobar os aspectos macroscópicos (anatomia) e os microscópicos (histologia, citologia, embriologia e ciências afins) do corpo humano.

A anatomia é a base do conhecimento das ciências da saúde com aplicação direta na prática clínica, experimental e cirúrgica.

Imagem: Reprodução/Internet

RAMOS DA ANATOMIA

Citologia – Estudo da célula.

Histologia – Estudo dos tecidos e da formação dos órgãos.

Embriologia – Estudo do desenvolvimento do indivíduo.

Anatomia Radiológica – Estudo por meio de Raios X.

Anatomia Antropológica – Estudo dos tipos raciais.

Anatomia Biotipológica – Estudo dos tipos morfológicos.

Anatomia Comparativa – Estudo comparado de espécies.

Anatomia de Superfície – Estudo dos relevos morfológicos superficiais.

Anatomia Regional/Topográfica – Estuda o corpo humano por regiões.

Anatomia Clínica – É o estudo da estrutura e a função, a medida que se relaciona com a prática da ciências da saúde.

Anatomia Sistêmica – Estuda os elementos do corpo humano, descrevendo suas formas, suas relações, sua estrutura e constituição. Divide e estuda o corpo através de sistemas. É conhecida também como Anatomia Descritiva.

VARIAÇÃO ANATÔMICA , NORMALIDADE, ANOMALIA e MONSTRUOSIDADE

Variação Anatômica  – Diferenças morfológicas entre diferentes indivíduos ou órgãos sem prejuízo para a função.  Ex.: a postura de indivíduos, diferenças no tamanho da cabeça entre raças, etc.

Normalidade – Padrão que ocorre no corpo do indivíduo, ocorre na maioria dos casos, é mais freqüente estatisticamente.  Ex.: o coração, normalmente, se localiza na região do mediastino médio.

Anomalia – Variações morfológicas que acarretam prejuízo funcional.  Ex.: o indivíduo nascer com um dedo a mais em uma das mãos.

Monstruosidade – Anomalia acentuada incompatível com a vida. Ex.: Agenesia (não formação) do encéfalo.

Imagem: Reprodução/Internet

ANATOMIA SISTÊMICA

O corpo humano é chamado também de organismo, pois é constituído de órgãos que associados, formam os sistemas.

Na tabela abaixo veremos os diversos sistemas que constitui o corpo humano: 

SISTEMA ESQUELÉTICOSISTEMA DIGESTÓRIO
SISTEMA ARTICULARSISTEMA GENITAL
SISTEMA MUSCULARSISTEMA URINÁRIO
SISTEMA CARDIOVASCULAR SISTEMA LINFÁTICO
SISTEMA NERVOSOSISTEMA TEGUMENTAR
SISTEMA RESPIRATÓRIOSISTEMA ENDÓCRINO

TERMINOLOGIA ANATÔMICA

A Nomenclatura Anatômica é um conjunto de termos em uma linguagem universal que descreve as relações das partes do nosso corpo em posição  anatômica.

Deve-se ter conhecimentos adequados das terminologias para evitar desentendimentos com a equipe de trabalho e outros problemas que possam ocasionar danos ao paciente. A língua oficialmente adotada é o latim, por ser uma língua “morta”.

Critérios para adoção de nomes anatômicos:

  • Forma: músculo trapézio
  • Trajeto: artéria circunflexa da escápula
  • Relação com o esqueleto: artéria radial
  • Conexões ou inter-relações: ligamento sacro-ilíaco
  • Função: músculo levantador da escápula
  • Critério misto: músculo flexor superficial dos dedos (função e situação)
Imagem: Reprodução/Internet

TERMOS DE DIREÇÃO E LOCALIZAÇÃO

  • Anterior/ Ventral / Frontal: voltado ou mais próximo da frente do corpo (frente);
  • Posterior / Dorsal: voltado ou mais próximo das costas (traseiro);
  • Superior / Cranial: voltado ou mais próximo da cabeça (parte de cima);
  • Inferior / Podálico: voltado ou mais próximo do pé (parte de baixo);
  • Proximal: mais próximo do tronco ou do ponto de origem do membro;
  • Distal: mais distante do tronco ou do ponto de origem do membro;
  • Externo: externamente a um órgão ou a uma cavidade;
  • Interno: no interior de um órgão ou de uma cavidade;
Imagem: Reprodução/Internet
  • Intermédio: entre uma estrutura lateral e outra medial;
  • Medial: mais próximo do plano mediano; (voltado ao meio)
  • Médio: entre uma estrutura proximal e outra distal;
  • Lateral: mais longe do plano mediano; (Lado)
  • Superficial: mais próximo da superfície;
  • Profundo: mais distante da superfície;
  • Contralateral: do lado oposto.
  • Ipsilateral: do mesmo lado;

TERMOS DE POSIÇÃO

  • DECÚBITO DORSAL: O corpo está deitado com a face voltada para cima.

  • DECÚBITO VENTRAL: O corpo está deitado com a face voltada para baixo.

  • DECÚBITO LATERAL: O corpo está deitado de lado.

Imagem: Reprodução/Internet

POSIÇÃO ANATÔMICA

A posição anatômica é uma posição padrão para evitar termos diferentes nas descrições anatômicas, o uso dessa posição dá significado aos termos direcionais utilizados na descrição de partes e regiões do corpo humano e dá referência, as discussões sobre o corpo, o modo como se movimenta sua postura ou a relação entre uma e outra área assumem que o corpo, como um todo está numa posição específica chamada POSIÇÃO ANATÔMICA.

Imagem: Reprodução/Internet

PLANOS DE SECÇÃO

Os Planos de secção são superfícies planas imaginárias, usadas para dividir o corpo ou órgãos em áreas definidas. As descrições anatômicas, tanto do corpo humano quanto dos órgãos, são baseadas em 3 principais planos de secção SAGITAL; FRONTAL OU CORONAL; TRANSVERSAL OU HORIZONTAL que passam através do corpo na posição anatômica.

  • Plano Sagital

São todos os planos verticais com orientação paralela à sutura sagital do crânio (ou da orelha). O plano sagital mediano (ou plano mediano) divide o corpo em duas metades iguais, (direita e esquerda).

  • Plano Frontal

São todos os planos verticais com trajeto paralelo à sutura coronal do crânio (ou da “testa”). O plano coronal divide o corpo em duas metades diferentes, (anterior e posterior).

  • Plano Transversal

São todos os planos que cortam o corpo horizontalmente. Divide o corpo ou órgão, em duas metades diferentes, (superior e inferior).

Imagem: Reprodução/Internet

PLANOS DE DELIMITAÇÃO

Plano Superior (Cefálico/Cranial): seria a parede que está por cima da cabeça

Plano Inferior (Podálico): é o que se situa por baixo dos pés

Plano Anterior (Ventral): é o plano que passa pela frente do corpo

Plano Posterior (Dorsal): é o que formaria o fundo do caixão, ou seja, atrás das costas.

Planos Laterais: são as duas paredes laterais, que limitam os membros (superiores e inferiores), do lado direito e esquerdas.

Imagem: Reprodução/Internet

EIXOS DE MOVIMENTO

Os eixos são linhas imaginárias que atravessam os planos do corpo perpendicularmente para possibilitar movimentos. Estes planos e eixos serão sempre aplicados nas partes do corpo humano que permitem graus de movimentos amplos (articulações diartrose).

Quando é observado o movimento do corpo humano, aplica-se o conhecimento de eixo. 

Imagem: Reprodução/Internet
  • EIXO LÁTERO-LATERAL

Estende-se de um lado ao outro, tanto da direita para esquerda quanto o inverso, perpendicular ao plano sagital. Esse eixo também é conhecido como Transversal ou Horizontal. Esse eixo possibilita os movimentos de flexão e extensão.
Ex.: Articulação do ombro, do cotovelo, etc.

  • EIXO ÂNTERO-POSTERIOR

Estende-se em sentido anterior para posterior, perpendicular ao plano frontal. Esse eixo também é chamado de sagital. Esse eixo possibilita os movimentos de abdução e adução.
Ex.: Articulação do ombro, do quadril, etc.

  • EIXO LONGITUDINAL

Estende-se de cima para baixo (ou vice e versa), perpendicular ao plano transversal. Esse eixo possibilita os movimentos de rotação lateral e rotação medial.
Ex.: Articulação do ombro, do cotovelo, etc.

CONSTITUIÇÃO DO CORPO HUMANO

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico.

Átomos formam moléculas, que por sua vez, constituem moléculas maiores, as macromoléculas;

Essas moléculas estão organizadas em células, a unidade básica da vida;

Grupos especializados de células formam os tecidos;

Os tecidos então se arranjam em órgãos como o coração, o estômago e o rim;

Grupos de órgãos formam os sistemas orgânicos;

Todos esses sistemas se unem para formar o corpo ou o organismo humano.

Imagem: Reprodução/Anatomia Resumida
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

NETTER, Frank H. Atlas de Anatomia Humana. 2ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOBOTTA, J. Atlas de Anatomia Humana. 21ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000.

GUYTON, A. C. Tratado de Fisiologia Médica. 10ª ed. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2002.

TORTORA, Gerald J.; GRABOWSKI, Sandra Reynolds. Princípios de Anatomia e Fisiologia. 9ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2002.

DANGELO, J.G. E FATTINI, C.A. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar. 3ª ed. São Paulo: Atheneu, 2007. CAP.1.

Anatomia e Fisiologia Humana. 1ª ed. ELAINE CRISTINA MENDES MARQUES. São Paulo: MARTINARI, 2011.

Profª Me. MÁRCIA PRAIA, Anatomia e Fisiologia Humana. Amazonas: Manaus, 2016/2019.

Compartilhe:

Leave a reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>